Carta para a MELHOR MÃE DO MUNDO

Dia das Mães chegou. Dia de celebrar aquela que por nove meses nos carregou na barriga; por aproximadamente dois anos nos amamentou; e, que pela eternidade de nossos dias nos chamará de “bebê”.


Este é mais um ano que não passarei ao lado da minha mãe, Ivone, o Dia das Mães. As escolhas da vida, muitas vezes, nos fazem tomar decisões duras, que exigem fazer opções orientadas pela razão e não pelo coração.

Mas mesmo aqui de longe, algumas centenas de quilômetros e, duas dezenas de horas, celebro este dia.

É de joelhos prostrado. De mãos unidas. De olhos fechados. De coração apertado. De lágrima nos olhos que digo, numa singela oração:

“Obrigado meu Deus pela mãe que me destes. Obrigado meu Santo Anjo, pela mãe que me destes. Obrigado Senhor, pela família que me destes, fortalecida a cada dia pelas amorosas mãos de mamãe. Obrigado por nos manter unidos, sob os olhos de mamãe. Sou grato, Senhor, pela maravilhosa mãe que me destes. Perdoe-me, Senhor, pelas falhas diante de mamãe; pelas vezes que a faço chorar; pelas vezes que coloco em dúvida seu infinito amor por mim. Amém”.

Mãe, um beijo e um Feliz Dia das Mães.
De seu filhinho Fabiano.
OBS: como esta carta é “digital”, alguns detalhes favorecem o conteúdo, por isso acrescento duas músicas especiais: uma oração chamada “Pai Nosso da Mamãe” e outra do seu ídolo Roberto Carlos:

Feliz Dia das Mães Para Nossa Alegria

Depois do sucesso “Para Nossa Alegria“, os irmãos que encantaram o Brasil chegam para alegrar o Dia das Mães.

Isso mesmo, o novo vídeo que rola nas redes sociais é o “Feliz Dia das Mães“, que está “bombando” nas redes.

Não conhece? Então confira:

Tinoco deixa saudades!

A despedida do cantor sertanejo José Perez, o nosso querido Tinoco, foi de cortar coração. E falo (também) de coração, porque o não só cantor, mas maestro e pai do sertanejo deixou saudades… cresci ouvindo Tonico e Tinoco.
Meu avô materno Luis Nardi, o melhor gaiteiro (sanfoneiro) das bandas do Sul, cantou e saudou muitas vezes esses pais da viola. E sim, meus pais também cantavam, assim como eu cantava nas aulas de violão, nos churrascos e por aí vai… pois bem, deixo meu tributo a este cantor e amigo dos “sertanejos”.
Aliás, não poderia deixar de citar: quantas vezes cheguei na casa de meus avós paternos, na Linha Santa Lúcia, interior de Xaxim-SC, e eles estavam nos afazeres da vida do campo e, lá de longe, Tonico e Tinoco faziam companhia, cantando no rádio “fizemos a última viagem…”.
O saudades!!!